Mônaco é o primeiro país europeu a adotar 5G chinês

Enquanto os Estados Unidos manifesta preocupação com a tecnologia 5G chinesa, muitos países europeus estão cada vez mais perto de adotá-la. O primeiro deles é Mônaco a adotar o 5G da Huawei, um pequeno e próspero país europeu.


Em 2019, diversos governos têm alertado sobre possíveis riscos de se permitir que a Huawei, gigante das telecomunicações chinesas, disponibilize redes 5G no Ocidente. No entanto, no dia 9 de julho, o pequeno país, um microestado localizado na região francesa de Riveria, tornou-se o primeiro país europeu a lançar uma rede 5G construída pela Huawei em todo o país.

Qual é a preocupação?

A Huawei é líder global em tecnologia 5G de supervelocidade e oferece seus serviços a países do mundo todo. No entanto, alguns governos questionaram as motivações das companhias chinesas, temendo que a tecnologia fabricada pela Huawei possa fornecer uma porta de entrada para os serviços de inteligência de Pequim.

Os Estados Unidos, a Nova Zelândia e a Austrália já proibiram a Huawei de fornecer equipamentos para suas redes nacionais de 5G.


Uma Europa dividida

Embora Washington tenha manifestado as suas preocupações, muitos países europeus têm sido muito mais receptivos às tecnologias da Huawei, mesmo após a prisão de um funcionário da empresa por acusações de espionagem na Polônia, em janeiro.

A Huawei diz que já garantiu 50 contratos comerciais de 5G fora das fronteiras da China, sendo 28 deles na Europa. Entre eles, a Suíça, a Estônia e a Finlândia também começaram a implementar a tecnologia Huawei.

O representante do Reino Unido afirmou que usará o equipamento da empresa chinesa em partes periféricas de sua rede 5G. A Alemanha também resistiu à pressão dos EUA, comunicando ao CEO da Huawei, Ren Zhengfei, que a sua empresa atenderá aos requisitos de segurança alemães.

Comentários

Popular no Chinês Já